Arquivo da tag: Oxum. Orixás

Agosto Movimentado/ Homenagem

Agosto começou bem!Joana 1 Homenagem

A comemoração do dia do Maracatu, 1o. de agosto,  trouxe para mestra Joana uma justa homenagem. A deputada Simone Santana pediu uma salva de palmas, aplausos para nossa mestra, homenageando assim todos os maracatus de baque virado:

É com grande honra que a Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa de Pernambuco (CDDMulher-Alepe), em nome da Presidente, Deputada, Simone Santana, requer Voto de Aplauso para a única mulher Mestra de Maracatu do Brasil via Requerimento n° 836/2015, em alusão ao dia do Maracatu…

 

Joana livro

Joana livro 2

Esta homenagem se  junta à outra: mestra Joana foi uma das selecionada para a 11a. edição do livro Mulheres que Mudaram a História de Pernambuco. No dia 5 de maio deste ano o Baque Mulher se apresentou no lançamento desta edição mostrando a todos os valor do trabalho de mestra Joana para a cultura de Pernambuco.

O documentário Mães do Pina participou em agosto do Festival de Visões Periféricas, no Rio de janeiro, como um dos selecionados para essa panorâmica de 2015.

Este documentário pernambucano quer dar visibilidade às “Mães do Pina”, grupo de mulheres religiosas do bairro de Pina, no Recife. São elas Mãe Enésia da Oxum, Mãe Maria de Quixaba da Oxum (Maracatu Encanto do Pina); Mãe Helena de Xangô, Mãe Elda de Oxóssi (Maracatu Porto Rico) e Mãe Laura de Xangô .
Estas personalidades do candomblé são vistas como guerreiras, sobrevivendo às dificuldades financeiras e construindo um importante legado cultural à comunidade.

A estréia deste longa documentário foi em 2 de maio no Cinema São Luiz, Recife, PE. Assista ao Trailer em

No dia 18 de agosto participou da  VIII SEMANA DO PATRIMÔNIO CULTURAL DE PERNAMBUCO, promovida pela Secretaria Estadual de Cultura e Secretaria da Mulher de Pernambuco em uma das  Rodas de Diálogo “Maracatus Nação na Virada do Tempo: Gênero, Religião e Territórios de Sociabilidade”  durante o Seminário Patrimônio Imaterial do Brasil no Centro de Formação, Pesquisa e Memória Cultural – Casa do Carnaval, Recife, PE. Depois com outros mestres do Maracatu esteve presente  na entrega do título de Maracatu como Patrimônio Imaterial de Pernambuco.

Joana Patrimônio

Mestra afoita!

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Revista Aurora, do jornal Diário de Pernambuco, trouxe na sua edição do dia 21 de julho uma reportagem sobre mestra Joana D’Arc, única mulher à frente da percussão de uma nação de maracatu de baque virado.

As ruas estreitas e pipocadas de gente da comunidade do Bode, no bairro do Pina, Zona Sul da cidade, levam à sede-residência do Maracatu Nação Porto Rico. As saias rodadas na varanda sinalizam o endereço da única mulher no estado à frente da percussão de uma nação de baque virado. Em 2005, contrariando preceitos do Candomblé, Joana D’Arc Cavalcante, 34 anos, passou a coordenar e apitar o Maracatu Encanto do Pina. Com a permissão dos orixás e a contragosto da casta tradicional do povo de santo, virou Mestra Joana ou Joana do Agbê.

Veja na Internet a reportagem: http://www.old.diariodepernambuco.com.br/revistas/aurora/20130721/