Mestra Joana

 Joana D’arc da Silva Cavalcante / Mestra Joana

Joana D’arc da Silva Cavalcante, Mestra Joana é uma das artistas populares pernambucanas de maior projeção no cenário do país.

Joana livro 2Em Maio de 2015, foi uma das homenageadas na 11a. edição do livro Mulheres que Mudaram a História de Pernambuco Joana livroe em agosto foi homenageada em Ato publicado no Diário Oficial de Pernambuco, em , página 135, a Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa de Pernambuco (CDDMulher-Alepe), em nome da Presidente, Deputada, Simone Santana, requereu Voto de Aplauso para a única mulher Mestra de Maracatu do Brasil via Requerimento n° 836/2015, em alusão ao dia do Maracatu…

Joana site

Professora e mestre de maracatu, dominando dos fundamentos religiosos à todas as  áreas de expressão artística ligadas ao maracatu de baque virado – da concepção à confecção de roupas, adereços, loas, técnicas instrumentais , arranjos, danças, mestra Joana tem  viajado desde 2008 para o nordeste, sul e sudoeste do Brasil divulgando seus conhecimentos e formando novos batuqueiros e em 2016 estará pela primeira vez no exterior, como convidada do Encontro Europeu.

Joana DVD Encanto 2015

É a única mulher, até nossos dias, a coordenar e apitar o batuque de um maracatu de baque virado, Nação do Maracatu Encanto do Pina, além de liderar dois outros grupos:  Baque Mulher ( grupo de maracatu de baque virado só de mulheres) e Mazuca da Quixaba (grupo de coco de terreiro). É também coordenadora e coreógrafa do naipe dos Abês da Nação do Maracatu Porto Rico.

Mãe Joana de Oxum

Joana TerreiroJoana D’arc da Silva Cavalcante, neta da yalorixá, dona Maria de Quixaba, sacerdotisa do Ylê Axé Oxum Deym, uma das mais antigas do bairro do Pina, desde criança esteve presente as atividades religiosas e culturais desenvolvidas dentro do Ylê. Confirmada yakekeré Mãe Joana da Oxum. Mãe Pequena do Terreiro é segunda pessoa na hierarquia de mando de uma casa de candomblé e herdeira do Axé .

Joana do Abê, um novo estilo!Joana abê Porto Rico

Joanasite20

Mestra Joana é a principal responsável pela criação de um novo estilo que tem como símbolo os abê da Nação Porto Rico e Nação Encanto do Pina, mesclando as Danças dos Orixás dos terreiros Nagôs com o abê dentro do maracatu, criando uma profundidade para este instrumento da qual ela é a principal responsável, como criadora deste estilo e como divulgadora em suas oficinas.

Aprendizados

Seu aprendizado artístico do universo do maracatu de baque virado – música, dança, vestiários e adereços – se deu nos espaços do bairro do Pina, observando não apenas os mestres afamados, mas a todos os batuqueiros, dançarinos, costureiros e brincantes da  Nação do Maracatu Porto Rico e da Nação do Maracatu Encanto do Pina, nações que ela frequentou desde menina.

É essa a sua escola, o Bode, sua comunidade no Pina, seus professores foram todos artistas, afamados e desconhecidos, que conheceu e que se tornam suas referências culturais e técnicas.

Ensinos

Em 1999, sentindo a carência de opções culturais e de laser das crianças e adolescentes do Bode, bairro do Pina, criou o grupo Oxum Opará com meninas de 7 a 18 anos. Trabalhou como agente jovem da prefeitura do Recife junto ao quilombo urbano Ilha de Deus, no bairro do Imbiribeira, onde desenvolveu um trabalho de reintegração a sociedade com jovens e crianças e criou o Maracatu Axé da Ilha. Foi voluntaria do CAPS (Centro de atenção psicossocial) trabalhou com aulas de percussão com os pacientes.

Desde 2008 mestra Joana é requisitada anualmente para ministrar Oficinas de Dança de Maracatu e dos Orixás, Oficina de abê e oficina de Baques e Loas em várias cidades dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Paraná. Atualmente é a coordenadora pedagógica do Ponto de Cultura Maracatu Porto Rico que trouxe para a comunidade oficinas de capoeira, de instrumentos de percussão, dança, baques e loas.

Encanto do Pina

EP Carnaval Fábio 2

Derrubando barreiras e enfrentado a discriminação Joana D’arc Cavalcante  é referendada em 2008 como mestra do batuque da Nação do Maracatu Encanto do Pina, a primeira mulher na historia de um maracatu nação a ocupar este cargo.

O Encanto do Pina, sob sua liderança, tem seu trabalho divulgado e estudado fora de Pernambuco ao mesmo tempo que participa do calendário oficial do Carnaval do Recife.

 

Em 2015 o Encanto do Pina passou para o grupo especial e em 2016 obteve o quarto lugar no grupo Especial.

Mesmo com uma agenda de apresentações bastante grande, a  prioridade de Mestra Joana continua sendo o trabalho social e educacional dentro de  sua comunidade.

Mazuca da Quixaba

JoanaMazuca

A partir dos conhecimentos adquiridos no Ylê de sua avó, Joana D´arc cria, em 2006, o Mazuca da Quixaba, grupo que recria artisticamente as músicas e danças do Ylê de sua avó, num resgate cultural único de fragmentos da historia oral de velhos mestres da jurema misturado com o som e a pisada do coco de terreiro e desde então se apresenta regularmente em cidades do estado de Pernambuco divulgando o trabalho, como no Festival de Garanhus de 2015 e também fora do estado, no Festival Percussivo de 2014 em São José do Rio Preto e em 2013 em Paraty, RJ. Em 2011 o grupo lança seu primeiro CD “A pisada é essa” com o incentivo da Funcultura, Secretaria de Cultura e Gov. de PE.

Baque Mulher

Idealiza e rege o grupo Baque Mulher, único e primeiro grupo de maracatu de baque virado composto só por mulheres, principalmente adolescentes e mulheres da comunidade do Pina e Ilha de Deus etc …

O grupo apresenta-se em diversas cidades do Brasil em festejos relacionados com cultura popular e tem seguidoras que se reúnem em diversos estados para estudar o seu repertório e estar juntas, tocando, durante as apresentações do carnaval. O Baque Mulher faz seu desfile oficial pelas ruas do centro histórico na sexta-feira de carnaval, depois  da abertura do carnaval do Recife.

BM2016

o Baque Mulher  desenvolve uma militância a favor da luta das mulheres, na luta contra a violência contra a mulher e que tem como símbolo desta atuação a loa Maria da Penha:

Maria da Penha é forte /  É forte pra valer

Com sua força e coragem fez a lei acontecer


A lei Maria da Penha / Agora eu já sei


11.340 do ano 2006


Mulheres do Mundo inteiro / Com garra pra vencer 


Vamos unir as nossas forças e fazer acontecer


Tem direito a liberdade
 /Tem direito de viver


Tem direito de ter direito, tem direito de vencer

BaqueMulher 2016

O Baque Mulher tem o prazer de se apresentar em eventos ligados às lutas feministas, como o Bloco Nem com uma flor.

 

Apesar desta intensa atividade cultural, acrescida da sua atividade profissional e a de mãe e esposa, Mestra Joana continua seu trabalho social na comunidade do Pina com mulheres da comunidade envolvendo aulas de costura, confecção de adereços e dança, além de promover a festas para crianças da comunidade e arrecadação de alimentos e outras necessidades com voluntários.

Essa atuação foi o alvo de uma reportagem da TV Periferia em 2013.

Cronologia & links

2016

Criação do grupo Feministas do Baque Virado – Esta é a iniciativa da Mestra Joana Cavalcante através do grupo Baque Mulher, de Recife-PE, e que já conta com representantes em todo país!

Janeiro e Fevereiro

Encanto do Pina fica em quarto Lugar no Grupo Especial das Nações de Maracatu de Baque Virado do Desfile Oficial de Recife de 2016!!!

Foram diversas apresentações com o Encanto do Pina, Baque Mulher durante todo o Carnaval 2016, nos polos e em cidades vizinhas.

  • Nação do Maracatu Encanto do Pina – Cortejo Carnaval 2016 – 07/02/2016 -3:22 – Joe Sacamano

  • Maracatu Nação Encanto do Pina – Desfile 2016 – Ana Carla Lemos

  • Vlog carnaval 2016 Maracatu Encanto do Pina e Maracatu Porto Rico 1ª parte- Ruth Souza

  • Reportagem Maracatu Encanto do Pina é o único do mundo que tem mulher como mestre

http://g1.globo.com/pernambuco/videos/v/maracatu-encanto-do-pina-e-o-unico-do-mundo-que-tem-mulher-como-mestre/4780599/

  • Baque Mulher – Bloco Nem com uma flor

2015

  • Dezembro – participou da Conferencia da Mulher, em Gravatá
  • Novembro – Turnê Finaljoana 2015 novembro
    • 14/ Cuiabá, MT- Grupo Buriti Nagô
    • 20/ Campinas, SP – Grupo Maracatucá
    • 21/ São Paulo, SP- Bloco de Pedra

JoanaOUT 2015

  • Outubro – Turnê pelo Sul e Sudoeste do Brasil, com as batuqueiras Danielly Araujo e Jhay Viana.
    • 30 de outubro- Foz do Iguaçu
    • 29 de Outubro – Maringa – grupo IngazeiroJoana Roda de conversa 23 outubro
    • 23 de outubro – Roda de Conversa, com apresentação de Mães do Pina. Universidade Estadual de Maringá, PR
    • 16 a 18 de outubro – Intensivão de agbê em São Paulo
    • Paraty, RJ – Palmeira Imperial
    • Rio de Janeiro, RJ

Joana 2016 7 de outubro Joana 2015 10 de outubro

Agosto e Setembro – Gira pelo Estado de São Paulo – Americana, Santos, São Paulo, SorocabaJoana Cita 2015

  • 19 de setembro – São Paulo, SP – aulas de abê e dança do Maracatu de baque virado e participação no cortejo – Projeto Ocupação Inquietos.Local: Complexo Cultural Funarte São Paulo. Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos, São Paulo, SP
  • 2 a 17 de Agosto, SÃO PAULO

Durante a primeira quinzena de agosto ofereceu Oficinas em Sorocaba, Americana, Santos, São Paulo e esteve nas festividades em comemoração aos 5 ANOS DO OURO DO CONGO .Joana Patrimônio

  • 18 de Agosto – Seminário Patrimônio Imaterial do Brasil no Centro de Formação, Pesquisa e Memória Cultural – Casa do Carnaval.Participou da VIII SEMANA DO PATRIMÔNIO CULTURAL DE PERNAMBUCO, promovida pela Secretaria Estadual de Cultura e Secretaria da Mulher de Pernambuco em uma das Rodas de Diálogo “Maracatus Nação na Virada do Tempo: Gênero, Religião e Territórios de Sociabilidade”
  • 24 de junho – Show do Mazuca Da Quixaba no Pólo de Santo Amaro
  • 22 de julho- Show do Baque Mulher no Festival de Inverno de Garanhuns
  • 31 de Julho – SHOW do Mazuca da Quixaba o FESTIVAL DE INVERNO DE GARANHUS.

“Vocês lembram como se raspava o coco?”, perguntou Mestra Joana para a platéia. E continuou: “Antigamente se abria o coco e se ralava”. Após o comentário, a mestra ensinou como era ralado o coco através de dança, contagiando o público pela coreografia e o improviso da toada. A partir de então, o grupo passou a incrementar a apresentação com improvisos como “No tempo que eu era só não tinha amor nenhum” e composições já conhecidas, como ‘No Passo da Ema’.

http://www.cultura.pe.gov.br/canal/fig2015/ritmos-populares-transmitem-saberes-no-fig-2015/#sthash.Jptc9leU.dpuf

  • 2 de maio, 19 hs – Cinema São Luiz estréia do filme Mães do Pina.

Este documentário pernambucano quer dar visibilidade às “mães do Pina”, grupo de mulheres religiosas do bairro de Pina, no Recife. Estas personalidades do candomblé são vistas como guerreiras, sobrevivendo às dificuldades financeiras e construindo um importante legado cultural à comunidade. São elas Mãe Enésia da Oxum, Mãe Maria de Quixaba da Oxum; Mãe Helena de Xangô, Mãe Elda de Oxóssi (Maracatu Porto Rico) e Mãe Laura de Xangô .
Assista ao Trailer em

  • 5 de Março – 25 anos da Nação do Maracatu Encanto do Pina que este ano foi campeã do grupo 1, ascendendo assim ao grupo especial no carnaval de 2016.

2014

Em 2014 a TV PE/TV Brasil fez uma nova reportagem mostrando a importância da quebra de tabus tendo uma mulher à frente do batuque de um maracatu.

http://g1.globo.com/videos/pernambuco/bom-dia-pe/t/edicoes/v/conheca-joana-darc-a-unica-mulher-a-comandar-uma-nacao-de-maracatu-em-pernambuco/3171754/

Agosto – Realizou uma grande viagem para o sul/sudoeste com o grupo Mazuca da Quixaba que se apresentou em:

  • Dia 10, Aniversário do Palmeira Imperial Paraty, RJ
  • Dia 17 no SESC de São Carlos, SP
  • Dia 15 em Curitiba, PR
  • Dia 16 no SESC de Santos, SP
  • Paraty
    • Grupo Maracatu Palmeira Imperial comemora sete anos

http://radios.ebc.com.br/redacao-nacional/edicao/2014-08/maracatu-palmeira-imperial-de-paraty-comemora-07-anos-de-vida

  • Dia 24, Festa da Pinga Paraty, RJ

  • Oficina das Nações de Maracatu Porto Rico e Encanto do Pina em Florianópolis.

http://www.evento.br.com/eventos-arquivo/166436/oficina-das-nacoes-de-maracatu-porto-rico-e-encanto-do-pina

  • 5 de Julho ­– Participou do intercâmbio de conhecimentos e experiências entre os grupos de percussão Baque Mulher, do Recife, e o Bloco Malagasky, da Ilha de Madagascar, na África.

 

Mestra Joana também tem ministrado oficinas em vários estados brasileiros, como São Paulo (Maracatu Ilê Alafia, Maracatu Bloco de Pedra, Maracatu Ouro do Congo, Quiloa e Maracatucá), Rio de Janeiro (grupo Palmeira Imperial e Rio Maracatu), Santa Catarina (grupo Arrasta Ilha) e Paraná ( Maracatu Aroeira)

2013

27 a 30 de novembro em CAMPINAS, SP – promoção do grupo Maracatucá, na Casa de Cultura Tainã) participando como professora de dança, de abê e de baque do Encanto do Pina.

21 a 24 de novembro em SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, SP, durante o V FESTIVAL PERCUSSIVO – participação como líder e cantora do grupo Mazuca da Quixaba e na apresentação da homenagem para as Mães do Pina, no teatro do SESC de São José do Rio Preto.

http://festivalpercussivorp.blogspot.com.br

http://www.diarioweb.com.br/novoportal/Divirtase/Eventos+Shows/160746,,Festival+Percussivo+celebra+a+nossa+cultura.aspx

10 e 11 de agosto, Oficinas e palestra em Paraty, RJ, durante os festejos de aniversário do grupo Palmeira Imperial.

5 de maio em SANTOS, SP , no evento “Encontro com os Mestres” realizado no SESC com promoção do grupo Quiloa.

Janeiro Oficinas em Arcoverde, PE

Junho em Floresta, PE

Ainda em 2013, durante a preparação do carnaval, a TV PE/ TV Brasil fez uma reportagem especial sobre a mestra que foi publicada em 8 de fevereiro de 2013

2012 – participou de uma série de palestras e oficinas com mestre Shacon Viana em São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, e Rio de Janeiro

Em novembro foi convidada para o Encontro 2012 de Maracatu de baque virado, em Serra Negra, SP       http://encontros.maracatu.org.br/informacoes/mestres-e-convidados/

2011 – apresentou-se e ministrou oficinas no estado de São Paulo, nas cidades de Santos, Campinas, Embu (teatro Solano Trindade) como parte do projeto Gira com os Mestres

2010 – oficinas em São Paulo, nas cidades de Campinas com o grupo Maracatucá e Santos com o grupo Quiloa com quem se apresentou na Virada Cultural.

Atuou como cantora e lider do Grupo Mazuca da Quixaba na gravação do do CD A pisada é essa, com patrocínio da FUNCULTURA.

2009 – oficinas no Estado de São Paulo nas cidades de Santos, no grupo Quiloa, Campinas, no grupo Maracatuca e em Bauru ministrou a palestra “Maracatu de Baque Virado e a Cultura Popular” e a oficina “Danças populares, contexto e Maracatu promovidos pelo curso de Artes Cênicas da Universidade Sagrado Coração.l

2008 – oficinas em São Paulo, no Bloco de Pedra, e em Curitiba.

 


 

Contato

e-mail: mestra.joana@gmail.com                

Telefone fixo: 81 3327 8037  

Celular:  81 9786 2207 (TIM) WhatsApp

81 8740 5146 (OI)

http://nacaoencantodopina.maracatu.org.br/

Este slideshow necessita de JavaScript.